6 espaços de brasilidade com presença Castelatto na Casa Cor Brasília 2015

A Casa Cor Brasília esteve permeada pela celebração do designer nacionais, suas peças exaltadas nos mais variados elementos e materiais, do cobogó representado pela linha Illusie em cor barbante, no espaço da arquiteta Larissa Dias, da Castelatto, passando por tantas peças nacionais, de Jader Almeida, Carlos Motta, Paulo Alves, Porfírio Valadares até as cestas de palha de carnaúba desenvolvidas pelos artesãos locais de Várzea Queimada (PI), em projeto patrocinado pelo arquiteto Marcelo Rosenbaum.
Seu espaço, o Loft 1 era essa homenagem às mãos que constroem o design nacional. Mas o interessante desta edição de Brasília, foi o fato que havia ambientes em contraponto total com esta tomada de partido, por exemplo: o uso do aço corten como no espaço da arquiteta Letícia Hammerschmidt, em seu Quarto do Jovem.
Blog Castellato situa você nas tendências: No Brasil, um exemplo de uso do corten ou aço patinável está na estrutura da Catedral de Brasília, ele possui alta resistência à corrosão e pode ser utilizado para criar esculturas.
A natureza, o artesanal e o aspecto mais industrial conviveram de forma tão saudável nesta Casa Cor, dando pluralidade e uma verdadeira aula sobre arquitetura e designer de interiores.
Já o ambiente Bilheteria, criado pelas arquitetas Fabianna Manzur e Michelle Manzur diria que as portas estariam abertas ao verde, todos estavam convidados. As profissionais trouxerem paredes de samambaia, revestimento de parede Rigatto fendi da Castelatto. Michelle Manzur contou em entrevista ao Blog da Castelatto assim “pensamos em incluir nossas gravuras em kraft, com a pintura de animais da nossa natureza como o lobo-guará, capivara. No teto e na parede optamos pelo verde musgo, e com o revestimento Rigatto ganhamos a sinuosidade delicada, as curvas do relevo nacional”.
Ao longo dos 46 m2 do ambiente, ou melhor, desta ‘floresta brasileira’ e do verde que recobre paredes e o teto, tanto o revestimento quanto as texturas são um belo convite ao belo e à sustentabilidade, tão necessários.
O lançamento deste ano, o Ecobrick em cor mercure esteve presente na Cozinha da Casa de Didacio Duailibe e Flávia Dualibe, Didacio pontuou “Atrás de um móvel vazado optamos pelo revestimento de parede da Castelatto porque há nele uma produção natural, artesanal e nos permitiu modular toda uma cena com a iluminação”
No Someone´s Loft, o trabalho meio storytelling das arquitetas Flávia Amorim e Renata Melendez, pois criaram uma espécie de cenário em que uma história de desenrolava, dizem as profissionais que a ideia foi dar um ar “meio Hitchcock”, e o revestimento Toscana Grigio esteve por lá fazendo parte deste roteiro.
Na Family room, do arquiteto goiano Miguel Gustavo, a proposta era a Integração dos membros da família, usou o premiado Origami branco, da Castelatto, para dar o aconchego ao espaço gourmet.
Para o ar de Brasília entrar na sua casa, vá agora até a Varanda de Juliana Santana. A arquiteta criou um jardim suspenso leve e original, o mobiliário escolhido trouxe obras de arte assinadas por Edith Derdick, Mucki e Eurico Humano. Para o piso, claro, revestimento Castelatto, Pacific Branco, demonstrando a suavidade dessa varanda bem brasileira e tão convidativa.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.