Castelatto patrocina 2º Congresso Brasileiro da Arquitetura da Felicidade

Independentemente do projeto, a arquitetura deve contemplar o bem-estar das pessoas e as proporcionar um bom estado de espírito. No trabalho, em casa ou mesmo em um espaço de lazer, essa é a premissa que movimenta a vida: a felicidade. E é justamente sobre como fazer da arquitetura um projeto que traga satisfação que trata o 2º Congresso Brasileiro da Arquitetura da Felicidade, no qual a Castelatto é uma das empresas patrocinadoras.

O arquiteto, paisagista, urbanista e um dos idealizadores do evento, Guilherme Takeda, explica que a ideia do movimento é pensar em uma arquitetura voltada para as pessoas. “Mais que uma definição, é uma pergunta: Qual é a arquitetura que faz você feliz? É essa a pergunta que os arquitetos têm que fazer para os seus clientes para criar algo de relevância”, afirma.

Um projeto voltado à felicidade deve imprimir emoções para quem usufrui do espaço. Ser feliz, ter bons momentos e se sentir bem, são alguns dos pontos a serem levados em consideração ao pensar em arquitetura da felicidade. “Não se deve pensar só na questão material, mas sim o que essa materialidade expressa, instiga e emociona o seu usuário”, explica Takeda.

Ampliar as possibilidades, porém, exige estudo. O arquiteto cita pesquisas com a biofilia, por exemplo, como parte importante no processo de recuperação de um paciente em um hospital, até o aumento da retenção e a alegria pelo aprendizado em uma escola. “A neuro arquitetura, que é a relação do espaço e o cérebro, nos tem mostrado questões importantes como cor, som e cheiro. Tudo isso faz com que o ambiente se torne mais agradável”, diz.

Nesse sentido, destacamos produtos Castelatto como Moss, Madeyra Vecchia e Palette como importantes revestimentos para contribuir em projetos de arquitetura da felicidade. No Moss, a ideia é trazer a natureza mais próxima com a inserção de revestimentos de parede de maneira a proporcionar mais contato com elementos verdes.

Revestimento Castelatto: Ecobrick Stone Marfim e Moss Verde Bosque
Responsável pelo projeto: Laje 54 Arquitetura
Foto: Favaro Jr.

Já as texturas da linha Madeyra Vecchia reproduzem os veios da madeira bruta e envelhecida. É ideal para trazer a biofilia à tona em ambientes modernos com um toque de rusticidade, sem as desvantagens do desgaste natural desta matéria-prima, aliando a isso muita resistência, praticidade e fácil manutenção, além de evitar a derrubada de árvores preservando este importante recurso.

Revestimento Castelatto: Madeyra Vecchia Tabacco
Responsável pelo projeto: Arquiteta Debora Aguiar
Foto: Favaro Jr.

Na linha Palette o design se revela em uma ampla paleta de cores que podem ser combinadas em diversas composições, dando vida a projetos com paletas monocromáticas ou arrojadas, clássicas ou modernas. As peças estão disponíveis nos formatos mosaico, régua e tijolo perfurado, e conferem ao concreto um toque delicado que realça ainda mais a beleza da cor.

Revestimento Castelatto: Palette Colors Mosaico
Responsável pelo projeto: Produção Castelatto
Foto: Favaro Jr.

Em todos os casos, a felicidade pode se fazer presente em projetos dos mais diferentes tipos de ambiente, desde um escritório a uma área de lazer.

2º Congresso Brasileiro da Arquitetura da Felicidade

O Congresso Brasileiro da Arquitetura da Felicidade é um evento que reúne 40 palestrantes de 13 países em 8 dias de pura imersão em arquitetura e urbanismo. Online, as atividades ocorrem de 23 a 30 de novembro, das 18h30 às 23h, durante a semana, e das 13h30 às 23h no fim de semana. “Serão duas salas concomitantes, para que o participante escolha qual deseja. E o mais importante é que vão ficar gravadas e à disposição por seis meses para todos os inscritos”, conta Takeda. Todo o congresso será trilíngue, com interpretação em português, espanhol e inglês.

“Grandes nomes da arquitetura e urbanismo abordarão vários assuntos, criando um portfólio de soluções e ferramentas importantes para os arquitetos”, afirma Takeda, que destaca que entre os temas estão memória afetiva nas decorações; curadoria de arte; prédios saudáveis; ventilação, entre outros. “Mais do que dar uma resposta, o evento tem como objetivo perguntar: que felicidade queremos e como a alcançar”, ressalta.

O arquiteto conta que a ideia do congresso nacional surgiu do Congresso Internacional de Felicidade, criado por Gustavo Arns, professor da área de psicologia positiva e um grande incentivador da discussão de ações concretas do estudo científico e holístico da felicidade nas pessoas. A partir de então, Takeda se uniu a outros vários colaboradores para mostrar o potencial da arquitetura na criação de bem-estar e felicidade nas pessoas. Assim surgiu o Congresso Brasileiro da Arquitetura da Felicidade, que neste ano está em sua segunda edição.

Sem fins lucrativos, o evento está com inscrições abertas e oferece uma série de bônus aos participantes. Takeda também conta que haverá ainda um workshop, dias 1 e 2 de dezembro sobre biofilia; dias 3 e 4 sobre neuro arquitetura e dias 7 e 8 sobre edificações saudáveis.

“Mais que uma reunião de experts nós queremos criar um start no estudo em todas as ciências que ajudem o bem-estar, a felicidade, a alegria das pessoas e, por isso, a ajuda de empresas como a Castelatto é fundamental nesse sentido”, finaliza.

 

Serviço
2º Congresso Brasileiro da Arquitetura da Felicidade
Data: de 23 a 30/11
Horário: das 18h30 às 23h00 de segunda a sexta-feira e das 13h30 às 23h00 no sábado e domingo
Preço 2º lote: R$200
Local: Online
Programação e inscrições: https://arquiteturadafelicidade.org/

 

Sobre Guilherme Takeda

Guilherme Takeda é arquiteto paisagista e urbanista, e diretor da Takeda Design, empresa de design de conceitos criativos, ideias para cidade, paisagismo e urbanismo focado nas pessoas.

 

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.