Design biofílico integra elementos naturais a ambientes urbanos

Ao pensar em um espaço relaxante, dificilmente será um cenário urbano que virá a sua mente. Provavelmente, seus pensamentos irão ao encontro da natureza. Arquitetos e designers estão em busca de soluções que refletirão positivamente no futuro, voltando-se para a ‘biofilia’ como uma importante fonte de inspiração. Isso porque, além de bela, ela promove o bem-estar, a saúde e o conforto emocional.

Mas você já ouviu falar em biofilia? O termo ‘biofilia’ é traduzido como ‘amor às coisas vivas’ e não é tão novo quanto parece, apesar de ter ganhado mais destaque recentemente ao se tornar tendência na arquitetura e no design de interiores. Usado pela primeira vez pelo psicólogo Erich Fromm em 1964 e depois popularizado nos anos 80 pelo biólogo Edward O. Wilson, o termo refere-se à necessidade que sentimos de estar em contato, interagir e nos relacionarmos com a natureza.

Ao compreender o que é a biofilia, entendemos que é possível alcançar essa conexão ao integrar a natureza nos projetos arquitetônicos. O Design Biofílico é uma forma inovadora de criar ambientes que melhoram a saúde e o bem-estar, procurando conectar a natureza ao ambiente moderno construído. Ou seja, o design biofílico propõe levar a natureza para dentro dos ambientes. Afinal, 90% do nosso tempo passamos em ambientes fechados.

Para alcançar o design biofílico e uma conexão real com a natureza, a principal estratégia é incorporar as características naturais aos ambientes construídos, como água, vegetação, luz natural e elementos como madeira e pedra. O uso de formas e silhuetas botânicas ao invés de linhas retas também é uma característica fundamental em projetos biofílicos, além de estabelecer relações visuais, por exemplo, entre luz e sombra.

Ao incluir conscientemente a natureza no interior ou no projeto arquitetônico, estamos nos reconectando inconscientemente a ela. A OMS (Organização Mundial de Saúde) já reconheceu o estresse no trabalho como uma das maiores causas de depressão. Por isso, a aplicação do Design Biofílico é muito importante não só nos espaços pessoais, mas, particularmente, em áreas corporativas, como escritórios e outros ambientes de trabalho. Um estudo brasileiro que avalia a saúde, bem-estar e produtividade nos escritórios, baseado no WGBC (World Green Building Council), aponta a importância da biofilia no rendimento dos trabalhadores.

E como aplicar a biofilia na arquitetura?

O revestimento Moss nas cores Verde Bosque e Verde Tropical, lançamento 2020 da Castelatto, em harmonia com o Ecobrick Stone Marfim, foi um dos maiores destaques da Expo Revestir 2020. Projeto: Arquiteto Gustavo Arbex e Designer de Interiores Newton Lima. Foto: Favaro Jr.

 

Uma combinação belíssima, os revestimentos Tribu e Grezzo Cinza combinados com o lançamento Moss Verde Tropical e Verde Bosque dão vida e novas formas à parede, alegrando o ambiente. Projeto: Arquiteto Gustavo Arbex e Designer de Interiores Newton Lima. Foto: Favaro Jr.

 

 

Paredes e telhados verdes: ao pensarmos em elementos naturais, as plantas são a primeira coisa que vem à cabeça. Uma fachada verde colocada sobre uma parede existente ou uma “parede viva” composta de plantas pode ajudar a reduzir o efeito da ilha de calor urbano. Além disso, as plantas são purificadoras naturais do ar, melhorando a qualidade do ar interno.

Seguindo esta tendência, a Castelatto lançou o revestimento Moss. Composto com diversos revestimentos de parede da marca, ele traz uma beleza natural e de fácil manutenção para os projetos. Com o Moss, é possível levar a natureza para os projetos e atender a necessidade do ser humano de estar conectado à natureza, em composições cheias de vida.

 

Iluminação natural: Há evidências crescentes de que somos mais saudáveis ​​quando nossos ritmos circadianos são equilibrados. Certamente, ter acesso à boa luz do sol ajuda muito com isso. Embora fornecer muitas janelas seja a solução mais simples para isso, nem sempre é possível. As alternativas para resolver o problema incluem a implementação de tubos solares ou átrios de vários andares, que permitem que a luz natural difusa penetre nos espaços interiores.

O belo espaço de relaxamento conta com grandes janelas, que trazem luz natural e contribuem para o conforto da sala de banho. Na parede, o Revestimento Duna Colors Amazzonite traz sofisticação nos tons da natureza. O espaço é de Produção Castelatto, com foto de Favaro Jr.

 

 

Ventilação natural: abrir a janela e deixar entrar ar fresco também é importante para ajudar na conexão com a natureza. Os arquitetos podem responder a esse anseio usando recursos de Design Biofílico, com muitas janelas, portas de correr que se abrem para áreas externas, claraboias ou sistemas que ajudam a promover uma troca de ar saudável.

 

Vistas para o exterior: olhar para o horizonte ajuda-nos a restaurar nossa sensação de segurança e conforto. Se a construção tiver vistas para ambientes naturais, aproveite-os. Porém, se o projeto estiver localizado em locais mais urbanos e industriais, os arquitetos podem optar por projetar espaços de pátio com árvores, por exemplo, para fornecer aos ocupantes vistas agradáveis e acesso à natureza.

A bela sala de estar da Arquiteta Thais Beraldo recebeu o conforto da natureza que fica na área externa, integrada ao ambiente por meio da transparência das portas e janelas. O revestimento Squadri Colors Gold completa o espaço com muita sofisticação. A foto é de Favaro Jr.

 

Agora que você sabe tudo sobre o design biofílico, que tal aplicar esta tendência nos seus projetos e garantir mais contato com a natureza?

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será divulgado.